A Primavera Árabe e a Guerra da Síria (Resumo)

A Primavera Árabe e a Guerra da Síria (Resumo)

A Primavera Árabe pode ser compreendida como um conjunto de revoltas populares ocorridas em mais de dez países no norte da África e Oriente Médio a partir de 2010. O primeiro país a registrar uma revolta de cunho sociopolítico foi a Tunísia, posteriormente, as revoltas se espalhariam pelas nações vizinhas contra a exploração, o desemprego, a corrupção e a permanência de governos autoritários.

Em 2010, na Tunísia, o estopim ocorrera a partir do ato de um jovem vendedor de frutas que ateou fogo no próprio corpo depois de ter sofrido opressão praticada pela polícia e governo local. Na História Geral, a Primavera Árabe foi a primeira série de revoltas e tentativas revolucionárias registradas em países árabes e islâmicos nos últimos cinquenta anos.

As revoltas também geraram passeatas e conflitos violentos no Egito, Líbia e na Síria. Na Síria, as tentativas de derrubar o ditador gerou uma guerra civil sem precedentes na região, permitindo investidas de grupos terroristas entre 2011 e 2018.

Segundo a ONU (Organização das Nações Unidas), a Síria sofre a maior crise humanitária dos últimos tempos, o território do país sofre com conflitos mantidos pelos grupos República Árabe Síria liderado pelo atual presidente Bashar al-Assad, Exército Síria Livre formado por rebeldes que lutam para derrubar Bashar al-Assad, Partido da União-Democrática formado pelo povo curdo que reivindica um território autônomo dentro do país e pelo EI (Estado Islâmico) que busca formar um califado na região.

Leia a seguir um resumo sobre a situação da Síria:

Ano de 2011

No dia 15 de março de 2011, Daraa foi o centro de um protesto pacífico, no mês seguinte as manifestações se espalharam por todas as cidades do país forçando a intervenção das forças do regime de Bashar.

Ano de 2012

As principais economias do mundo exigem a renúncia de Bashar al-Assad, porém Rússia e China vetam o documento do Conselho de Segurança da ONU que exigira a renuncia do presidente sírio.

Ano de 2013

No mês de junho de 2013, são iniciadas as negociações de paz em Genebra, Suíça.

Ano de 2014

No mês de janeiro de 2014, grupos terroristas do Estado Islâmico assume o controle de Raqqa e declara cidade como “califado”. No mês de setembro do mesmo ano, os EUA lidera uma coalizão militar para atingir alvos do Estado Islâmico na Síria.

Ano de 2015

Em janeiro, grupos curdos conseguem retomar o distrito de Kobani do domínio do EI. No dia 30 de setembro, a Rússia inicia ampla intervenção militar no território sírio.

, ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *