Anéis de Saturno

Anéis de Saturno.

Por Fernando Rebouças

Gelo, poeiras e materiais rochosos é a composição dos anéis de Saturno. Os anéis de Saturno não atingem mais de 1,5 km de espessura, mas atingem centenas de milhares de quilômetros de diâmetro.

Acredita-se que a origem dos anéis seja da desintegração de um cometa próximo a atmosfera, do impacto de um cometa numa lua de Saturno, ou da própria formação do planeta.

A sonda Cassini-Huygens, lançada em 15 de outubro de 1997, iniciou pesquisa na órbita de Saturno em 1º de Julho de 2004. A sonda verificou a existência de uma atmosfera autônoma ao redor dos anéis, sem ligação com a atmosfera do planeta. A atmosfera dos anéis de saturno é composta de oxigênio molecular.

A primeira observação dos anéis de Saturno foram feitas em julho de 1610, por Galileo Galilei, que utilizou um telescópio primitivo de baixa qualidade. O primeiro observador a sugerir que as apêndices eram discos lisos, Chistiaan Huygens, declarou tal descoberta em 1655.

Em 1675, Giovanni Cassini detectou uma faixa escura entre os dois anéis concêntricos, que passou a ser conhecida como divisão de Cassini. O ciclo dos anéis possui uma duração de 30 anos, com variação perante a órbita de Saturno.

A distância radial entre as partículas dos discos e o planeta Saturno é estabilizada por duas forças: a gravidade, que atrai a partícula para planeta; e a força centrífuga que a ejeta. Em outubro de 2009, cientistas da Universidade de Virgínia afirmaram a existência de um novo anel composto de pequenas partículas, e marca parte da órbita da lua Phoebe. O anel é bastante profundo e está a 27° em relação aos outros anéis.

Referências:

http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2009/10/07/descoberto-novo-anel-de-saturno-767945569.asp

http://pt.wikipedia.org/wiki/An%C3%A9is_de_Saturno

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sonda_Cassini-Huygens

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *