Aquecimento global e diversidade das plantas

Aquecimento global e diversidade das plantas.

Por Fernando Rebouças

A elevação nos níveis de temperatura do planeta Terra, segundo os cientistas especializados em estudos climáticos, as regiões temperadas irão aquecer, o que provocará a fuga de espécies para outras regiões. Na região dos trópicos, haveria grande perda da flora vitimada pela falta de chuva e de forte calor.

Nos trópicos, a perda de espécies da flora nativa aliada à proliferação de espécies provenientes de regiões temperadas, causará uma padronização global do reino vegetal em ambas as regiões. A teoria da uniformização da flora em escala global é uma tese defendida pelo estudo “Projected impacts of climate change on regional capacities for global plant species richness”.

Pesquisadores das Universidades de Bonn, Göttingen e Yale, pesquisaram e identificaram diferentes espécies encontradas em várias regiões submetidas às atuais condições climáticas, após reunir essas informações, determinaram uma previsão de impacto provocado pelas mudanças climáticas para o ano de 2010.

Segundo Jan Henning Sommer, cientista da Universidade de Bonn :

“As mudanças climáticas podem trazer grande confusão para o padrão existente da diversidade das plantas, com conseqüências que ainda nos são desconhecidas para os ecossistemas e para a humanidade”

As conclusões da pesquisa ainda não são absolutas, merecem mais tempo e estudo mais aprofundado a respeito da tese do desaparecimento das espécies de flora e sua adaptação em outras regiões. Para Jan Sommer :

“A capacidade de adaptação das espécies e sua interação com o ecossistema ainda são incertos, assim como o uso da terra pelo homem, que pode exercer grande influência na distribuição das plantas. Esse é um campo que sabemos muito pouco”.

Os efeitos negativos do aquecimento global na flora tropical tem sido observado na Amazônia, onde há uma previsão de perdas da flora nativa. Por outro lado, o estudo prevê um aumento da flora em países campeões de poluição como os EUA e Europa.

Mas esse aumento da flora em países de região temperada não significa um novo equilíbrio vegetal , pois não possibilitará a redistribuição de espécies, pois enquanto que as espécies tropicais desaparecerão, as de regiões temperadas se espalharão, o que poderá provocar um desequilíbrio no ciclo ecológico.

O aumento de dióxido de carbono na atmosfera oferece condições a mais de alimentação para a floresta que, em meio a um ambiente mais quente, tende a morrer por inalação. Um planeta mais quente gerará uma abundância de vegetação, mas com menor diversidade e equilíbrio de distribuição de espécies.

Referências:

http://www.espacopublico.blog.br/?p=550

http://www.carbonobrasil.com/?id=724789

 

,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *