DEM- Demand Chain Management

DEM- Demand Chain Management.

Por Fernando Rebouças

Velocidade de informação e competitividade em escala mundial entre marcas e produtos são as duas principais consequências da globalização que encurta os ciclos de vida de produtos e de oportunidades de negócio, ou seja, o mercado pode mudar de tendência num piscar de olhos.

Esse cenário de mercado globalizado exige das empresas uma maior capacidade de entendimento e de resposta aos seus mercados-alvo e segmentos, gerando a necessidade de ampliar ações sincronizadas entre o seu objetivo real de mercado e todo seu processo de produção.

Para se manterem competitivas e abrangentes em seus projetos, as empresas contratam serviços de Demanda Chain Management para adquirir uma visão atualizada sobre melhorias nas funcionabilidades implementadas em cada etapa produtiva vinculada ao atendimento de um demanda.

Esses serviços lidam com soluções para os setores de Suprimentos, Planejamento, Produção, Logística e Distribuição, Vendas e Marketing. Sempre com o objetivo de sincronizar o fluxo de materiais de uma cadeia produtiva e toda a informação nela gera e necessária. Vale lembrar que o Demand Chain Management pode ser empregado tanto num produto tangível quanto num serviço prestado, considerado produto intangível.

Toda a cadeia de suprimento objetiva atingir o consumidor final, em suas necessidades e desejos, considerando a conveniência, o melhor preço e o melhor canal de venda para cada tipo de consumidor. Essa etapa sempre será melhor atingida com boa sistematização do planejamento logístico.

Todo canal de venda é a ponta do iceberg, um iceberg formado por áreas de compra ao setor de produção, produção, armazenamento e tranporte. Desde a ferrovia até o e-mail, a entrega de materiais e informação comercial sofreram profundas transformações.

Na atual globalização moderna, a internet como principal veículo de informação e de ações de mercado, converge em si a possibilidade de oferecer mecanismos e serviços de sincronia de informações de mercado em nível internacional, troca de informação e de análises sobre as mesmas, condicionamento de maior velocidade em intranet de trabalhos realizados em conjunto entre empresas e de um forte canal de vendas ao consumidor final.

No mercado global não há mais distâncias para pedidos e entregas, portanto a antiga noção de concorrência caiu por terra, hoje as empresas verdadeiramente globalizadas pensam na concorrência como fonte de exemplo de comportamento de mercado e possibilidade de parcerias.

Em 2007, a Associação Brasileira de E-Business realizou a Terceira Maratona de Supply and Demand Chain Management. Na Maratona houve a apresentação de cases bem sucedidos de grandes empresas do Brasil que atuam nos setores industrial, comercial e de serviços.

Referências:

http://www.pwc.com/br/pt/servicos/supply-and-demand-chain.jhtml

http://www.supplychainonline.com.br/modules.php?name=News&file=article&sid=187

http://www.partnerconsulting.com.br/eventos.asp?evento=16&pagina=2

 

 

, ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *