Detrito Espacial

Detrito Espacial

Por Fernando Rebouças

Também conhecido como lixo espacial, abrange a presença de restos de naves, satélites desativados, combustíveis, lascas de tintas, foguetes, objetos metálicos, ferramentas e até uma luva de astronauta que forma uma nuvem de objetos que estão ao redor da atmosfera do planeta Terra.

Na órbita da Terra não apresentam nenhuma utilidade, podem ser peças de pequeno a grande porte. O detrito espacial representa riscos de acidentes que possam acontecer por possíveis colisões ou pela reentrada desses materiais na atmosfera terrestre.

Uma colisão ocorrida numa velocidade orbital pode danificar o funcionamento de novos satélites e a atividade de astronautas. Qualquer colisão de um lixo espacial sobre um outro lixo ou objeto espacial recém lançado, pode gerar a síndrome de Kessler.

A síndrome de Kessler, apresentada por um físico da Nasa,  define uma alta quantidade de detritos que, ao se chocarem, geram detritos secundários fragmentados, multiplicando o número de detritos na órbita do planeta.

Os primeiros lixos espaciais surgiram na época da corrida espacial entre EUA e URSS, iniciada na década de 50, quando o primeiro satélite russo, o Sputnik, foi lançado em 1957, e abandonado na órbita.

Em 1991, o ônibus espacial Discovery, foi o primeiro a realizar uma manobra de desvio para não colidir com os restos do satélite russo Kosmos. Os detritos circundam na órbita terrestre baixa (Low Earth Orbit), e na órbita geoestacionária (Geostationary Orbit).

No decorrer dos anos, os detritos perdem altitude, aumentando a possibilidade de queda na Terra, atraídos pela gravidade da Terra. Trazem o risco de caírem em alta velocidade e trazendo consigo restos de combustíveis.

As agências espaciais estão utilizando componentes feitos de alumínio, que desintegram em grandes altitudes., diferente do que ocorre com o titânio, o aço inoxidável e o berílio. Todo detrito espacial é estudado da Terra através de radares, telescópios óticos e de espaçonaves em missão.

 Referências:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Detrito_espacial

http://veja.abril.com.br/idade/exclusivo/perguntas_respostas/lixo-espacial/satelite-colisao-poluicao-orbita.shtml

 

 

, ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *