Doença no espaço

Doença no espaço.

Por Fernando Rebouças

Conhecida como Síndrome de Adaptação ao Espaço é a dificuldade que o astronauta pode sentir para se adaptar à microgravidade. Os sintomas são enjoo  e perda de coordenação motora.

Desconhecida nas primeiras missões ao espaço, passou a ser detectada a partir do uso de naves que ofereciam maior espaço interno. Com maior espaço para a locomoção, a doença começou a se mais comum nos astronautas.

Grande parte dos enjoos ocorrem no primeiro voo espacial. Uma das primeiras ocorrências da doença foi verificada na missão Vostok 2, lançada em 1961.

Além de enjoo e perda de coordenação motora, o astronauta sente náusea, dores de cabeça e sensação de desconforto. A Nasa para mitigar a frequência da síndrome nos astronautas, estabelece um período de três a quatro dias para a adaptação às condições de microgravidade espacial.

Um acesso de vômito ou desmaio dentro ou fora do ônibus espacial pode ser fatal. A origem da doença surge da dificuldade do labirinto , órgão regulador do equilíbrio, no processo de adaptação à microgravidade que gera uma sensação de falta de peso ao astronauta.

Segundo os especialistas, a doença atinge cerca de 60% dos astronautas, e os sintomas cessam depois de dois dias no espaço. Para diminuir as ocorrências da doença, o astronauta fica de quarentena, isolado por três semanas para evitar infecção.

 

Referências:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Doen%C3%A7a_do_espa%C3%A7o

http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL297116-5603,00-ASTRONAUTA+DOENTE+CHAMA+A+ATENCAO+PARA+CASOS+DE+ENJOO+ESPACIAL.html

 

,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *