Feldspato

Feldspato.

Por Fernando Rebouças

O “feldspato” é uma mineral pertencente ao grupo dos “tectossilicatos”, formado por rochas responsáveis por 60% da crosta terrestre. O feldspato cristaliza nos sistemas triclínico ou monoclínico.

A cristalização ocorre a partir do magma em rochas intrusivas e extrusivas; são minerais compactos, filões em pegmatitas e se desdobram em rochas metamórficas. São também encontrados em rochas sedimentares.

Na indústria são muito usados pelo teor que possuem em álcalis e alumina.

– Fabricação de vidros

Os felspatos potássios reduzem a temperatura de fusão do quartzo e permite uma melhor viscosidade do vidro;

– Fabricação de cerâmica

Depois da argila, é o elemento principal por permitir uma durabilidade do material fabricado;

– Fabricação de insumos

Muito usado para acrescentar na fabricação de tintas, plásticos e borrachas. Nesses materiais usa-se feldspato moído;

– Derivados de vidro.

Utilizado na fabricação de louças de cozinha, banheiro e porcelanas;

– Construção.

Introduzidos em eléctrodos de soldadura, abrasivos ligeiros e na produção de uretano e espuma de látex.

Os feldspatos se subdividem em dois grupos básicos : Alcalinos e Sódico-cálcicos.

Alcalinos

Podem ser sistematizados , tendo como base, suas propriedades ópticas. A sistematização ocorre em quatro séries: albita de alta temperatura-sanidina de alta temperatura; albita de alta temperatura-sanidina de baixa temperatura; albita de baixa temperatura-ortoclásio ; albita de baixa temperatura-microclínio.

Já a série do plagioclásio, assim como os feldspatos alcalinos, apresentam alta e baixa temperaturas, e temperatura intermediária. Podem ser classificados eminentemente com base nas porcentagens “moleculares”, gerando as denominações albita, oligoclásio, andesina, labradorita, bytownita e anortita.

Pela ausência de componentes como a geminação lamelar e pela presença de texturas como o criptopertitica ou pertíticas, por exemplo, os feldspatos alcalinos podem se distinguir dos componentes dos plagioclásios.

Sódico-cálcicos.

Assim como os feldspatos potássicos e feldspato de bário, o sódico-cálcico surge da substituição do Si pelo Al. Os três possuem estruturas idênticas formadas por cadeias de anéis compostas por quatro membros estendidas para o eixo como ligações iônicas em K. Na, Ca e Ba.

Brasil

O nosso país possui uma reserva de feldspato que totaliza cerca de 116 milhões de toneladas, nas quais 41,4 % são reservas realmente medidas. Os estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná são os principais produtores. Boa parte de nosso feldspato ocorre em rochas pegmatíticas.

Referências:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Feldspato

http://www.rc.unesp.br/museudpm/banco/silicatos/tectossilicatos/gfeldspato.html

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *