Intolerância religiosa em nível global

Intolerância religiosa em nível global.

Por Fernando Rebouças

Desrespeitar a religião do próximo é um ato de intolerância religiosa, seja no nível psicológico, físico e institucional. Ironizar ou ridicularizar a importância da cultura religiosa e seus objetos de devoção também se inserem nesse tipo de intolerância. O oposto da intolerância religiosa é respeitar as diferenças de credos e suas características.

A intolerância religiosa em muitos casos abre um negativo caminho para a perseguição religiosa a níveis No Brasil, um dos países que mais apresenta a maior reunião de diferentes religiões e credos, o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa é comemorado no dia 21 de janeiro.

O Brasil é considerado o maior país espírita kardecista do mundo, e uma das maiores nações católicas e evangélicas do mundo, também acolhe, historicamente, diferentes comunidades religiosas e culturais como a do judaísmo e do budismo. No país ainda há a presença de instituições ecumênicas cristãs como a Legião da Boa Vontade. Sendo a umbanda a única religião surgida originalmente no Brasil, as demais foram trazidas no período colonial, pós-colonial e por intermédio de comunidades estrangeiras.

Porém, no Brasil houve um clima de intolerância cultural e religiosa entre católicos e protestantes até os anos 1990, motivada, principalmente, pelo uso de veículos de comunicação, onde jornalistas criticavam o farto dízimo cobrado pelas igrejas evangélicas e pastores que ridicularizavam e chutavam imagens de santos católicos. A partir dos anos 1990, houve um crescimento na exposição de amizade e tolerância inter-religiosa no Brasil.

No âmbito global, as diferenças religiosas incluem o preconceito em relação aos mulçumanos, quando grupos de terroristas utilizam o islamismo como justificativa de suas investidas, e a antiga diferenciação entre católicos e protestantes na Europa, principalmente, na região da  Irlanda.

No dia 28 de fevereiro de 2013, a ONU (Organização das Nações Unidas) realizou conferência para promoção da tolerância, pluralidade e inclusão de diferentes religiões no mundo, acrescentando a questão étnica ao debate. A ONU mantém a Unaoc, Aliança de Civilizações das Nações Unidas, responsável pelo diálogo intercultural com a presença de mais de 130 países. A Unaoc foi responsável pelo V Fórum Mundial para abordar sobre os riscos da intolerância e do extremismo religioso.

Segundo a entidade, o mundo ainda vive sob o clima de xenofobia, conflitos e intolerância em diferentes países, segundo a Unaoc em muitos países ainda há o desrespeito a símbolos, ritos e literatura religiosa.

Referências:

http://envolverde.com.br/ips/inter-press-service-reportagens/intolerancia-religiosa-ameaca-a-paz-mundial/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Intoler%C3%A2ncia_religiosa

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2013-01-21/dia-nacional-de-combate-intolerancia-religiosa-e-celebrado-no-rio-com-eventos-na-cinelandia

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *