Ipê-roxo

Ipê-roxo.

Por Fernando Rebouças

O Ipê-roxo é também conhecido como ipê-rosa, é uma árvore de intensa floração de coloração rósea a roxa, possui tronco rugoso, o termo ipê é de origem indígena e significa árvore de casca grossa. Essa espécie também é referida pelos seguintes nomes:

– Pau-d’arco, ipê roxo da mata, ipê preto, ipê comum, ipê cavatã, ipê preto ,lapacho, peúva, piúva. É da família Bignoniaceae, a atinge até 35 metros de altura.

Em seu tronco apresenta substâncias de uso teraupêtico, gera uma madeira de ótima qualidade, sendo o seu tronco muito duro utilizado na fabricação de vigas, assoalhos, e insumos para a carpintaria e mercenária. Costuma florescer  entre os meses de junho e agosto. É uma espécie de árvore nativa da América do Sul, sua presença é identificada desde o norte da região Amazônica até o Norte da Argentina.

É uma espécie de  árvore muito plantada nas praças e demais locais de lazer das cidades. É frondosa e suas folhas caem durante o período de seca, época que as suas flores apresentam tons entre o rosa e o roxo, chamando a atenção dos admiradores de uma paisagem natural.

Para a medicina, essa árvore possui substâncias utilizadas como anti-inflamatório, antibiótico, antitumoral e analgésico. Os elementos retirado do ipê- roxo são aplicados para curar dores musculares, artrites e artroses; além de tumores, psoríase e alguns tipos de câncer. É usada em banhos de assentos para mulheres, em casos de cólicas menstruais, corrimentos, candidíases e vaginites.

Nos EUA, cientistas descobriram que uma determinada substância retirada da casca do tronco do ipê-roxo extermina um tipo de célula cancerígena, segundo pesquisa publicada no periódico científico Proceedings of the National Academy of Sciences. A pesquisa foi desenvolvida pelo Centro Médico Southwestern, da Universidade do Texas.

O composto encontrado pelos pesquisadores conseguiu eliminar uma célula cancerígena no pulmão, uma das substâncias pesquisas , o “beta-lapachone” apresentou capacidade anticancerígenas. Segundo dados específicos da pesquisa, o composto extraído da casca da árvore pelos pesquisadores interagiu  com uma enzima identificada como NQ01, encontrada em células de câncer pulmonar e outros tumores sólidos. A substância retirada da árvores também inibem a reparação do DNA das células cancerígenas, as eliminando de uma só vez.

Referências:

http://www.florestasnativas.com.br/IPEROXO

http://www.oficinadeervas.com.br/detalhe.php?id_produto=85&p=ipe-roxo

http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI1712621-EI8148,00.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *