Marketing contra intuitivo

Marketing contra intuitivo.

Por Fernando Rebouças

Muitos profissionais e empresas atuam por meio de observações superficiais a respeito do mercado, em seguir exemplos deixados pelos concorrentes ou simplesmente seguindo a própria intuição, o chamado “feeling”. Nos tempos atuais, essas práticas não resolvem problemas de planejamento e de produção a longo prazo.

O seu grande concorrente talvez utilize processos e mecanismos de estudo, avaliação e planejamento de mercado mais rigorosos e factíveis capazes de mantê-lo como um grande competidor perante a sua empresa. Nos EUA, nos últimos anos, ocorreram práticas de marketing repetitivo, referido como “over and over marketing” caracterizado por decisões gastas, desatualizadas, baseadas em dados e comportamentos antigos e, simplesmente, proveniente de decisões intuitivas e intempestivas.

Nesse contexto, os programas de marketing não atingem o resultado esperado. Para se evitar a repetição nas análises e nas soluções dos planos de marketing, há o pensamento de elaborar pesquisas e ações contra intuitivas para a elaboração de planos mais eficazes.

Acredita-se que a intuição leve ao sucesso em casos raros, no mercado acertar a partir de uma intuição é como marcar um gol de goleiro, um fato que não ocorre todos os dias. Nas tarefas contra intuitivas utiliza-se pesquisa, análises, planejamento, teste de mercado, análise de mercado, análise sobre a capacidade de resposta do cliente interno e hábitos do cliente externo, entre outros geradores de informação precisa.

É necessário métodos científicos e tecnológicos para propiciar uma maior precisão de ações de mercado, e tais métodos estão presentes no marketing moderno que, por sua vez, está presente em nossas vidas. Elaborar um plano de marketing preciso é gerar condições ideais para que o produto, serviço e marca de uma empresa atinja, atenda e satisfaça o público certo da melhor maneira possível, gerando os melhores resultados para a corporação.

Nos EUA, empresas de médio e pequeno porte estavam presas a pequenos níveis de resultados. Acredita-se que as empresas pequenas trabalham atreladas ao marketing intuitivo, essas empresas dependem somente das ideias e instintos de seu dono ou dos seus associados.

A intuição no planejamento dessas empresas é mantido, pois as mesmas só enxergam objetivos de curto prazo e meta de vendas trimestrais. Há a falta de um planejamento estratégico fundamentado para o curto, médio e longo prazo e que exponha as forças e fraquezas da corporação.

Cometem o perigoso pecado de desconhecer o seu verdadeiro público (target), de escutar o seu público e de, consequentemente, não adaptar a sua imagem corporativa e sua mensagem publicitária ao seu público. Isso também afeta no planejamento do produto e na promoção de vendas, pois se sua empresa desconhece o que o seu consumidor precisa, e se sua empresa desconhece as tendências reais de mercado, qual será as reais respostas para a sua empresa ?

Referências:

http://bizrevolution.typepad.com/bizrevolution/2008/06/marketing-contr.html

http://www.mariopersona.com.br/entrevistaposgraduacao.html

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *