Neutralização de carbono

Neutralização de carbono.

Por Fernando Rebouças

O desafio ecológico atual é mitigar os efeitos da quantidade de CO2  presentes na atmosfera de nosso planeta ou, simplesmente nos adaptarmos a eles. A respeito da mitigação , objetivo muito discutido entre governos, empresas e diferentes comunidades globais e regionais é a implementação de um sistema de neutralização de carbono.

Basicamente, neutralizar carbono é plantar árvores que , quando se tornarem adultas, produzirão oxigênio, absorverão gás carbônico o transformando em biomassa.De um modo mais complexo, a neutralização exige um cálculo sobre a quantidade de CO2 que uma determinada atividade pode emitir sobre a quantidade de árvores que o responsável pela atividade terá de plantar para efetuar a compensação.

O problema é que não há critérios oficiais que cubram diferentes regiões e atividades em todo o mundo. Há empresas que prestam consultoria para o planejamento de neutralização de carbono para governos e empresas, porém a neutralização por meio de crédito de carbono a ser trocado entre as nações ainda é um processo incipiente e que remete à falta de conclusões mais profundas nas cúpulas internacionais de meio ambiente.

A neutralização de carbono, em seu conceito inicial, começou a se discutida e implementada a partir dos alertas do IPCC sobre a questão do aquecimento global. O CO2 é o principal poluente entre os GEF´s (gases de efeito estufa), e ajuda a criar uma barreira que concentra o calor na atmosfera da Terra.

Estima-se que uma árvore nativa da mata atlântica, por exemplo, possui 40 anos de fase de crescimento, nesse período, a árvore já consegue absorver mais carbono do que ela emite pela sua respiração, cada árvore em crescimento pode absorver uma média de 190 quilos de gás carbônico.

As empresas e os acordo internacionais de neutralização exigem dados precisos, muitas empresas trabalham a partir de dados empíricos somente para satisfazer a política e a imagem do marketing verde da corporação. Por outro lado, é necessário compreender que o carbono, mesmo sendo o principal gás de efeito estufa, é apenas um dos agravantes provenientes de atividades não sustentáveis.

Por meio do plantio de árvore, se uma espécie leva de trinta a quarenta anos para crescer e absorver o CO2, seria necessário esperar três ou quatro décadas para a absorção do CO2 emitido neste ano, por exemplo. Vale lembrar, que uma árvore só absorve o CO2, deixando gases como o metano, o óxido nitroso e os clorofluorcarbonetos permanentes na atmosfera. Tal condição exige da humanidade novos sistemas de compensação de produção sustentável.

Faça caçulos pré-eliminares de carbono pelos sites: www.pegadaecologica.org.br e www.oeco.com.br/calculadora.

Bibliografia:

http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/ambiente/conteudo_254976.shtml

http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/ambiente/conteudo_268776.shtml

http://www1.folha.uol.com.br/ambiente/745885-dia-do-ambiente-marketing-abusa-do-conceito-de-neutralizacao-de-carbono.shtml

,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *