O Realismo de Machado de Assis

O Realismo de Machado de Assis

Por Fernando Rebouças

O Realismo / Naturalismo brasileiro iniciou, cronologicamente, nos anos 1880, a partir da publicação do romance naturalista “O mulato” de Aluísio Azevedo, e do romance realista “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, de Machado de Assis, dois romances urbanos.

No Realismo, Machado de Assis iniciara a sua segunda fase como escritor, sendo as de primeira fase românticas. Tornou-se o principal prosador realista do Brasil e o mais importante ficcionista da história literária brasileira. No Naturalismo, Aloísio de Azevedo se tornou no maior prosador naturalista. No Brasil, a poesia no período do Realismo/Naturalismo ficou denominada como Parnasianismo.

Classificar os textos, contos e romances de Machado de Assis numa única escola literário é um desafio. Porém, as principais obras de Machado de Assis são incluídas no Realismo brasileiro por apresentar as seguintes características:

– Lei do mais forte;

– Condicionamento do homem ao meio social;

– Postura objetiva do autor;

– Sociedade imperfeita;

– Conflitos sociais e psicológicos ao redor das ações dos personagens;

No livro Quincas Borba, há a teoria Humanitismo, uma caricatura da religião positivista, segundo o conceito apresentado pelo personagem Quincas Borba:

“Humanitas é o príncipio. Há nas coisas todas certa substância recôndita e idêntica, um princípio único, universal, eterno, comum, indivisível e indestrutivo (…)”

Em seus romances, Machado de Assis se dedica em desenvolver uma análise das personagens do que com a ação, em suas narrativas não há grandes atitudes, mas encontramos reflexões profundas. Na prosa machadiana o autor no processo de sua narrativa mantém uma conversa com leitor para propiciar momentos de reflexão.

No livro Dom Casmurro, Machado de Assis escreveu a história de Bentinho e Capitu, e a antiga reflexão da traição de Capitu com o personagem Escobar. Outras obras como Memórias Póstumas de Brás Cubas e contos como O Alienista, O Enfermeiro, Missa do Galo, entre outros são leituras obrigatórias para vestibulares e demais processos seletivos.

Indicação de leitura:

A editora Martin Claret mantém a publicação de edições atualizadas das obras realistas Machadianas, uma ótima dica de leitura para estudantes e professores: http://www.martinclaret.com.br/?s=Machado+de+Assis

Quincas Borba: http://www.martinclaret.com.br/index.php/quincas-borba/

Memórias Póstumas de Brás Cubas: http://www.martinclaret.com.br/index.php/memorias-postumas-de-bras-cubas/

Dom Casmurro: http://www.martinclaret.com.br/index.php/dom-casmurro-2/

 

,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *