Órbita de exoplanetas

Órbita de exoplanetas.

Por Fernando Rebouças

Um exoplaneta é um planeta extra-solar, fora de nosso sistema solar. Em nossa ciência, a descoberta dos primeiros exoplanetas ocorreu em 1989. No dia 13 de abril de 2010, foi anunciada em Londres, a descoberta um novo tipo de comportamento na órbita de alguns exoplanetas.

Segundo a teoria planetária dominante, os planetas orbitam em torno de seu sol em similar direção, ou seja, orbitam seguindo a mesma direção da órbita de sua estrela. Essa teoria começa a ser desmentida pelos astrônomos do Observatório de Genebra em reunião na Royal Astronomical Society (RAS), na Escócia.

De 1995 a 2010, já foram descobertos cerca de 452 planetas, os nove exoplanetas mais recentes demonstram um comportamento orbital diferente dos demais. Os nove exoplanetas identificados não foram identificados por meio da atração gravitacional influenciada pelo sol, mas pelo fato de estarem passando na frente dele.

Esses novos exoplanetas demonstram um trânsito diferente em relação aos demais, assustando astrônomos caçadores de planetas. Num estudo mais amplo, selecionaram vinte e sete exoplanetas, dos quais , seis exoplanetas orbitavam em direção oposta à de sua estrela quente referencial.

Hipoteticamente, os astrônomos acreditam que os exoplanetas são provenientes de aglomerações de um disco de poeira e gás que orbitam na mesma direção de uma estrela jovem. Contra o senso comum de que os planetas orbitam na mesma direção de sua estrela, os astrônomos pretendem ampliar os estudos.

Os exoplanetas estudados são batizados de “Júpiteres quentes” por serem parecidos com o nosso vizinho Júpiter na massa, mas diferente do nosso Júpiter, esses “Júpiteres quentes” orbitam bem mais próximos de suas estrelas, a ponto de se queimarem. Talvez não tenham surgido a partir de materiais distantes da estrelas num processo de migração gravitacional entre a estrela e o disco proto-planetário.

Acredita-se que os tais “Júpiteres quentes” teriam, em seu processo de formação, sido influenciados por uma guerra gravitacional com planetas distantes e estrelas vizinhas e atraídos pela estrela central para uma órbita inclinada e alongada, por meio do fenômeno de “fricção das marés”, teriam sido aprisionados a uma órbita estranha até serem atraídos mais próximo dela.

Essas questões levantam as esperanças de encontrar um planeta similar a Terra, com estrutura rochosa e temperaturas equilibradas, o que permitiria a existência de água em estado líquido.

As primeiras descobertas foram realizadas pelo Observatório Europeu Austral, um telescópio de 3,6 metros situado em La Silla, no Chile. Os estudos consideram a impressão digital química, referido como o espectro direto de um planeta em órbita numa estrela distante.

Referências:

http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/ultimas-noticias/afp/2010/04/13/descoberta-vira-teoria-sobre-orbita-planetaria-de-cabeca-para-baixo.jhtm

http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=luz-exoplaneta-captada-pela-primeira-vez&id=010830100114

http://pt.wikipedia.org/wiki/Exoplaneta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *