Orientação Educacional – Entrevista com Mary Rangel

Orientação Educacional. Entrevista com Mary Rangel

por Fernando Rebouças

Mary Rangel é Doutora em educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Professora Titular de Didática da Universidade Federal Fluminense e Titular da área de Ensino-Aprendizagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rangel publica pela Editora Vozes seu novo livro, “Orientação Educacional e suas ações no contexto atual da escola”. Tivemos a oportunidade de entrevistar a autora e abordar sobre a educação, um tema sempre atual e desafiante para a nossa sociedade.

1 – Professora Mary Rangel, a frase “No Brasil, temos uma escola do século XIX e um professor do século XX” sempre é mencionada nos debates pedagógicos e mencionada também pelos governos. Na sua opinião, onde estará o ponto chave para entrarmos no século XXI no quesito da educação de qualidade?

Profª Mary Rangel – Temos que entender a qualidade do ponto de vista social e pedagógico. Do ponto de vista social, a qualidade assume o significado e o compromisso de uma educação inclusiva e emancipadora, acessível a todos os sujeitos da vida cidadã. Do ponto de vista pedagógico, a educação de qualidade adota princípios e processos que assegurem as aprendizagens em todos os níveis, do básico ao superior.

2 – A senhora aborda em seu livro aspectos atuais na convivência entre alunos e professores em sala de aula e a inclusão dos diferentes. Vivemos numa época de baixa tolerância social e urbana em nosso país, onde o outro é visto como um competidor ou um incômodo. Conviver com “outro diferente” em sala de aula ajudaria na formação de um respeito social no futuro?

Profª Mary Rangel  – Com certeza. A convivência com o outro, não só possibilita laços afetivos e solidários, como favorece a compreensão e o diálogo, auxiliando a desconstrução de preconceitos. O respeito social fundamenta-se em relações de consideração à alteridade. Nessas relações, o outro é visto como alguém que, com suas singularidades, acrescenta possibilidades de trocas e aprendizagens significativas.

3 – Muitos estudantes dizem que aprendem mais com a internet do que com o professor. Neste ponto, qual seria a diferença entre aprendizagem pragmática e educação de conteúdo regular? 

Profª Mary Rangel – A aprendizagem pragmática decorre de conteúdos que se aplicam à prática, ao cotidiano, contendo significados e conceitos reconhecidos pelos alunos. A aprendizagem regular, de conteúdos regularmente previstos na sequência dos programas de ensino, pode também estabelecer a relação entre prática-teoria prática, sem perder de vista a importância dos fundamentos teóricos, que ampliam e aprofundam o conhecimento.

4- Em tempos de modelos e tecnologias que permitem, por exemplo, o ensino à distância e as inovações do design de salas de aulas e bibliotecas dinâmicas, o conceito de “sala de aula” deveria receber um novo entendimento? 

Profª Mary Rangel – Acredito que o entendimento da sala de aula não possa prescindir do sentido de espaço-tempo de aprendizagens e elaboração crítica e contextualizada do conhecimento. Esse entendimento pode permanecer em tempos da sociedade informatizada, assim como o ensino presencial pode se manter, reconhecendo-se sua importância, sem que se percam recursos como os de bibliotecas digitais e os do ensino à distância.

5 – Apesar de ter elevado os investimentos em educação e leitura nos últimos 20 anos (1995 – 2015) por que o Brasil ainda não consegue educar qualitativamente melhor?

Profª Mary Rangel – Não afirmo que “o Brasil ainda não consegue educar qualitativamente melhor”. Houve avanços nos últimos anos na formação docente, nos métodos de ensino-aprendizagem, na relação ensino-pesquisa, no uso de tecnologias na educação. O que é necessário para maiores avanços é a priorização, pelas políticas públicas, da atenção às escolas, suas condições de funcionamento, seus recursos, associados à melhor remuneração dos professores, como um dos aspectos do reconhecimento de seu valor social.

6- Segundo Sérgio Besserman, economista e ambientalista, a leitura e a educação de baixa qualidade também estão relacionadas ao hábito do brasileiro de não gostar de estudar ou de estudar somente para cumprir obrigações e visar oportunidades. Na sua opinião, o brasileiro é preguiçoso para ler e estudar? 

Profª Mary Rangel  – De forma alguma! O brasileiro, cada vez mais, empenha-se em estudar, em aperfeiçoar o seu desempenho profissional, em assumir espaços de trabalho, de realizações pessoais, sociais e políticas. Posso exemplificar, nesse sentido, a minha experiência de tantos anos com alunas e alunos de Cursos de Formação Docente na Universidade Federal Fluminense e alunos/as da área de saúde na Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

7 – Como a senhora enxerga os caminhos da educação para os próximos 50 anos? 

Profª Mary Rangel – Vejo o futuro da educação com otimismo. Acredito no progresso da ciência e, concomitantemente, da produção e ensino do conhecimento, considerando-o como direito de cidadania. O debate sociopolítico da educação e o realce de sua importância estão ganhando força na sociedade.

8- Fale de seus próximos projetos de pesquisas e lançamento de novos livros.

Profª Mary Rangel  – Meus próximos projetos de pesquisa visam ampliar e aprofundar princípios e práticas de educação inclusiva emancipadora. Meu projeto de publicação é o de sete pequenos livros que componham uma série intitulada A didática no contexto atual da escola, trazendo aos educadores, cada livro da série, de modo contextualizado na atualidade, os seguintes temas: (1) o planejamento didático participativo, (2) motivação e incentivo às aprendizagens, (3) metodologias ativas de ensino, com e sem uso de tecnologias, (4) concepção e práticas de processos construtivos de avaliação e medidas de aprendizagem, (5) práticas de ensino que estimulam o raciocínio e a aprendizagem, (6) relação ensino-pesquisa-produção de conhecimento, (7) transposição didática na dinâmica da relação entre prática-teoria-prática.

Estarei sempre ao dispor para novas entrevistas e diálogo com os Professores. Nesse sentido, ofereço meu email: mary.rangel@lasalle.org.br

Meu cordial abraço,

Mary Rangel

outubro/2015

Conheça mais o livro da Doutora Mary Rangel:

http://www.universovozes.com.br/livrariavozes/web/view/DetalheProdutoCommerce.aspx?ProdId=8532650678

Capa:

, ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *