Paywall (pagamento por acesso ao conteúdo)

Paywall (pagamento por acesso ao conteúdo).

Por Fernando Rebouças

O paywall é um sistema de assinatura que permite ao internauta acessar conteúdo de publicações fornecido por sites de jornais e demais veículos digitais de comunicação. Os sites podem oferecer acesso aos resumos e às chamadas das notícias, mas para obter acesso ao material completo o paywall exige cadastro e pagamento da mensalidade.

Frente à perda de tiragens impressas e de grandes anunciantes, os jornais estão adotando o paywall em seus portais de web para obtenção de uma nova receita financeira. Apesar de alguns sites já utilizarem o modelo de assinatura, o primeiro jornal a utilizar o paywall de maneira abrangento e integrada foi o “The New York Times”, o jornal norte-americano cobra por três níveis de acesso.

No Brasil, a Folha Dirigida já cobrava parcialmente pelo acesso digital de suas notícias, e jornais como O Globo e a Folha de São Paulo já mantinham conteúdo exclusivo de acesso de seus sites para assinantes tradicionais do formato impresso de seus jornais, porém, a partir de 2012, o modelo do NYT, focado somente no ambiente digital, começou a ser utilizado pelos jornais Zero Hora, de Porto Alegre, e pela própria Folha e S.P.

No caso do NYT (The New York Times) o veículo conquistou 500.000 assinantes pagos no ano de 2011, a direção do marketing explica o pioneirismo do jornal norte-americano em virtude da corrida contra o tempo, ou seja, é melhor adotar esse sistema antes que seja tarde demais, pois se tudo for gratuito na web e pago somente no formato impresso as empresas de comunicação poderão caminhar para a falência.

Além do modelo de negócio, os norte-americanos tiveram atenção à arquitetura do conteúdo, sendo necessário oferecer algo a mais no meio digital. As medidas sobre o paywall também devem se adequar às mídias sociais e a internacionalização da base de leitores, lembrando que um jornal pode ser acessado por qualquer pessoa de qualquer país no mundo.

O paywall oferece uma nova fonte de receita para as empresas de comunicação, mesmo sendo oposta à ideia de conteúdo aberto e livre para todos provinda do idealismo da democratização de acesso. Nos anos 2000, a receita on-line correspondeu em média de 10 a 20% de todos os recursos atraídos pelos jornais, na maioria dos casos, um anúncio digital era a replicação de um espaço já comprado pela empresa no formato impresso.

Referencias:

http://www.meioemensagem.com.br/home/midia/noticias/2012/08/20/Jornais-concentram-debate-em-digital.html

http://en.wikipedia.org/wiki/Paywall#cite_note-preston-1

 

 

,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *