Revisão dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio da ONU

Revisão dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio da ONU

Por Fernando Rebouças

Até 2015, a ONU e os países membros pretendem atingir as metas do atual ODM (Objetivos de Desenvolvimento do Milênio), porém, a entidade já trabalha na composição de uma nova Agenda de Desenvolvimento a ser trabalhada depois de 2015.

Depois da realização da Rio+20, o então Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-Moon, prometeu nomear um Painel de Alto Nível de aconselhamento para a Agenda de Desenvolvimento pós 2015.

A partir de fevereiro de 2013, as diferentes agências da ONU começaram a trabalhar e a discutirem sobre a nova agenda pós 2015. A ONU Mulheres e a Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) iniciaram as consultas sobre a desigualdade e aos níveis socioeconômicos.

A diretora da Divisão de Políticas da ONU Mulheres, Saraswathi Menon, já declarou suas primeiras análises referente à composição de uma nova agenda cujas metas deverão ser mais precisas, permitindo melhores possibilidades de redução das desigualdades no mundo. Leia a seguir, a opinião que a diretora declarou à imprensa em fevereiro de 2013:

“ Objetivos de Desenvolvimento do Milênio tiveram êxito na forma como capturaram a imaginação das pessoas em todo o mundo. Vimos organizações de mulheres, a sociedade civil, a mídia e acadêmicos usando os ODM para avaliar o desempenho de seus líderes e da comunidade internacional, e em muitos casos forçando-os a prestar contas. Os governos também rapidamente integraram os ODM às suas políticas e prioridades. Qualquer nova agenda deve, portanto, responder ao que governos e povos viram como fortalezas e fraquezas no contexto anterior. Em cada país as crescentes desigualdades e os impactos das diferentes crises – alimentar, de combustíveis, econômica e de emprego – são grandes preocupações, bem como a violência contra as mulheres que ocorre em todos os países, em todos os setores sociais, nas famílias e em espaços públicos. As vidas frágeis de pessoas em situações de conflito ou em países vulneráveis aos desastres naturais ou à mudança climática também são motivo de preocupação. Estes são alguns dos temas que não foram encarados pelos ODM e devem ser tratados em algum novo contexto. Como já vimos qual foi o desempenho dos Objetivos, com um progresso desigual em muitos casos, o pior de todos em matéria de mortalidade materna, se deve prestar muita atenção não apenas na forma como são elaboradas as metas mas também como podem ser traduzidas em ações públicas para fazer uma diferença na vida das pessoas. O novo contexto será diferente, responderá às aspirações das pessoas e levará em conta as lições aprendidas pelos governos e por seus sócios. Além disso, terá de enfrentar os desafios que se agravaram ou surgiram desde a adoção da Declaração do Milênio.”

Referências:

http://envolverde.com.br/ambiente/a-onu-constroi-nova-agenda-de-desenvolvimento/

http://www.onu.org.br/onu-prepara-agenda-de-desenvolvimento-pos-2015/

Site oficial: http://www.un.org/millenniumgoals/beyond2015.shtml

 

,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *