Vida urbana e doenças mentais

Vida urbana e doenças mentais.

Por Fernando Rebouças

O ser humano que vive e trabalha numa cidade poder se acometido por doenças causadas pela poluição sonora, trânsito caótico, violência urbana, lixo, empurrões e outros fatores estressantes. As pessoas são atraídas para trabalhar e viver nas cidades pela possibilidade de obterem  melhores empregos e melhores “oportunidades” de trabalho.

Há cerca de 50 anos atrás, menos de um terço da população mundial vivia nas cidades, em 2012 esse número havia subido para mais da metade da população mundial. A perspectiva para o ano de 2050 indica que 70% de toda a população do mundo esteja vivendo em cidades.

O aumento da população urbana, além de gerar maior demanda nos setores de transporte, emprego e segurança, afeta diretamente nas condições de vida, do ser humano poder viver  com saúde e boa expectativa. As cidades poderão deixar de ser o melhor lugar para se viver.

Segundo o  Instituto Central de Saúde Mental de Mannheim, o aumento da população urbana tem sido acompanhado pelo aumento da ocorrência de distúrbios psíquicos nos cidadãos. Uma das doenças mais verificadas, a depressão, já causou o custo de 120 bilhões de euros ao ano para os governos e cidadão europeus.

Além da depressão, o estresse e o caos urbano também causam demência, ansiedade e psicose. Porém, na sociedade e no dia a dia a frequência dessas doenças são subestimadas pelo próprio doente, principalmente quando a doença está em seu estágio natural, pela sociedade e pelas empresas, afinal, quase todo mundo sente dores de cabeça, sobrecarga diária e tristeza, as doenças somente se tornam mais visíveis quando atingem níveis mais agudos.

Na Alemanha, entre os anos 2000 e 2010, o número de afastamentos médicos causados por doenças mentais dobrou. Na América do Norte, a depressão foi a principal causa dos 40% dos caos de licença médica.

No Brasil, segundo dados do Núcleo Epidemiológico da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, a ansiedade, a depressão e a dependência química são causadas diretamente pela violência urbana e falta de qualidade de vida. Os mais vulneráveis são aqueles que vivem em regiões periféricas e mais pobres de uma determinada cidade.

Referências:

http://www.redebomdia.com.br/noticia/detalhe/16237/Mas+condicoes+de+vida+criam+transtornos+mentais

http://envolverde.com.br/saude/medicos-veem-relacao-entre-vida-urbana-e-disturbios-mentais/

http://www.dw.de/m%C3%A9dicos-veem-rela%C3%A7%C3%A3o-entre-vida-urbana-e-dist%C3%BArbios-mentais/a-16328906

 

,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *